Trilhas SMDianas: a flexibilidade na formação como estímulo à aprendizagem

on

Por Gabriel Eleuterio

Com uma formação baseada em itinerários formativos, também chamados de trilhas, o curso de Sistemas e Mídias Digitais (SMD) da UFC inova ao adotar metodologias de ensino não tradicionais, permitindo que seus alunos possam experienciar uma aprendizagem mais fluida, dinâmica e customizável, aplicando seus conhecimentos em problemáticas que resultam em soluções multimídia.

Atualmente, o SMD possui 4 trilhas: Sistemas Multimídia; Jogos Digitais; Design Digital Interativo; e  Animação e Audiovisual (ver destaques).

A concepção pedagógica das trilhas possui dois grandes diferenciais: as disciplinas resultam em projetos de cunho prático, pois se fundamentam no preceito da teoria sempre associada à prática; e algumas das disciplinas ofertadas pertencem a mais de uma trilha (como a disciplina de Técnicas de Animação 2D, que integra os itinerários de Jogos Digitais e Animação e Audiovisual), o que permite que os estudantes possam desenvolver conhecimentos das múltiplas áreas de atuação presentes no curso.

Para auxiliar os estudantes na escolha de qual itinerário seguir, existe o Grupo de Professores Tutores (GPT), responsável por montar a oferta de disciplinas para cada um desses percursos, com base nas demandas dos estudantes. Os GPT se reúnem semestralmente na semana de planejamento do curso, e apresentam suas deliberações em momentos como o início da disciplina de Introdução a Sistemas e Mídias Digitais, e na semana do curso organizada pelo Centro Acadêmico, o Media Week.

Mas é importante salientar que “o modelo de trilhas não obriga nenhum aluno a segui-las”, como explicita o professor Glaudiney Moreira Mendonça, docente do SMD. A ideia é que esses itinerários possam ajudar a guiar os estudantes em suas jornadas formativas, sem prendê-los a um único percurso. Caso queiram uma formação híbrida e generalista, os estudantes podem percorrer as múltiplas trilhas do curso.

Primórdios do curso

Criado em 2009, e com o ingresso da primeira turma em 2010, o SMD ainda é recente, comparado a outros cursos da Universidade Federal do Ceará, o que faz com que aspectos de sua proposta pedagógica ainda não sejam de conhecimento geral. Por essa razão, divulgar o projeto educacional do SMD é importante para que sejam explicitados sua concepção pedagógica e  métodos de ensino – a aprendizagem, seus objetivos enquanto graduação, e o seu diferencial no que se refere à formação de seus estudantes para o mercado de trabalho.

Para compreender a concepção pedagógica do SMD, é necessário conhecer a história por trás de sua criação. O professor Glaudiney foi um dos responsáveis pela elaboração da Proposta Pedagógica (PPC) do curso, que surgiu de uma demanda do Instituto UFC Virtual. O esboço de um projeto já existia na época, entretanto carecia de maior desenvolvimento, conta o professor. Segundo ele, a forma encontrada para resolver essa questão veio do próprio contexto de trabalho: “Nos laboratórios de criação de material didático para os cursos a distância da UFC, recebíamos muitos alunos que entendiam de programação, porém não conheciam muita coisa de design, e vice-versa. (…) tínhamos de fazer cursos internos para que o pessoal que participava do projeto tivesse um nivelamento. Sendo assim, pensamos em um curso que preparasse o aluno para trabalhar com esses dois universos”. 

Esse foi o pontapé inicial para a criação do SMD. Houveram outras motivações, como o constante surgimento de novas tecnologias de comunicação e as próprias exigências do mercado de trabalho. Nesse sentido, para que a proposta pedagógica ficasse condizente com o objetivo desse novo curso, outros cursos de graduação de diversas universidades foram utilizados como referência, como o Science in Integrated Digital Media (atualmente Integrated Design & Media, ou IDM), da New York University. O percurso formativo do IDM, dividido em 4 grandes áreas de atuação, é similar aos itinerários formativos do SMD, que permite ao estudante “montar” sua grade de estudos de acordo com as suas preferências e objetivos acadêmicos. Os demais cursos de graduação utilizados como referência podem ser visualizados na página 16 da documentação sobre o  PPC, disponível no website e no drive do curso.

Proposta pedagógica inovadora

Graças a essa busca por referenciais na área educacional, o SMD incorporou métodos de ensino não tradicionais, que visam um maior protagonismo dos estudantes, e que garantem uma formação em consonância com as necessidades atuais do mercado de trabalho. Essas metodologias de ensino-aprendizagem possuem um caráter extremamente prático. E esse aspecto não veio por acaso, o que acabou por influenciar a criação dos projetos integrados, disciplinas ministradas desde os semestres iniciais. Elas têm por objetivo “(…)reforçar a praticidade do curso e auxiliar os alunos a desenvolverem um portfólio”, conta o professor Glaudiney. Nesses projetos, os estudantes aplicam o conteúdo estudado durante o semestre na resolução de situações-problemas originadas de demandas externas. Para isso, são realizadas chamadas de captação de clientes ( professores ou organizações), que necessitem de recursos digitais interativos sem fins lucrativos. Os resultados são diversos, como o aplicativo Emergências Pediátricas, originado de uma necessidade de alunos do curso de Medicina da UFC. O formato para os recursos (mobile, web e etc.) é estabelecido de acordo com as disciplinas do semestre, o que garante que o aluno aplique aquilo que estudou. Os projetos integrados dos semestres iniciais englobam os conhecimentos da formação básica do SMD. Essa formação está integrada nas áreas de concentração que dividem o curso: Sistemas Multimídia e Mídias Digitais.

A formação do aluno do SMD é implementada nos seguintes estágios:

  • Até o terceiro semestre: o programa de estudos abrange um único conjunto de disciplinas obrigatórias, que garantem uma base de conhecimentos generalista para todos os estudantes. Graças a essa estruturação, o aluno se torna apto a percorrer por essas duas áreas, e caso queira, pode escolher um segmento para se especializar.
  • Quarto semestre: Um início de especialização pode ocorrer, pois nesse momento são ofertadas disciplinas eletivas mais específicas dessas áreas de concentração. A coordenação monta uma sugestão de grade para esse momento, que pode ser visualizada no perfil do SMD no Instagram.
  • Quinto semestre em diante: iniciam-se os itinerários formativos (as trilhas), que são formados por conjuntos de disciplinas optativas que englobam conteúdos de áreas como jogos digitais, animação gráfica e sistemas web. 

A máxima da flexibilização do ensino é, portanto,  percebida em todos os aspectos do curso de Sistemas e Mídias Digitais. Em razão do caráter prático do modelo de ensino adotado pelo o curso, os alunos se tornam aptos a participarem de projetos multidisciplinares, e também desenvolvem uma compreensão sobre como o mercado de trabalho pode operar. Iniciativas como o SMD Empreende e as ações das empresas júnior do curso, The Guardian Dog Studio (TGD) e Container Digital Jr., contribuem para essa aplicação dos conhecimentos desenvolvidos nas trilhas e garantem que a experiência dos estudantes na graduação seja a mais completa possível.